siga por e-mail

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Era engraçado, porque, toda vez que ele me fazia sorrir ou rir, eu sentia uma vontade incontrolável de explicar pra ele o quanto eu o amava.Agora já não existe mais isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário